Precious Brazil leva empresas brasileiras para feira em Hong Kong

Acontece de 26 de fevereiro a 2 de março (terça-feira a sábado) a HKTDC Hong Kong International Diamond, Gem & Pearls Show, feira internacional de diamantes, gemas e pérolas em Hong Kong. Ao todo, 22 empresas brasileiras participam com apoio do projeto setorial Precious Brazil, parceria do Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos (IBGM) com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

Durante os cinco dias de evento, as marcas Aro Gemas, Brasil Gem Commerce, Brazil Paraíba Mine, Dream Stones, Duarte & Bastos, Duarte & Duarte, Gemextra, Itagems, JG Stones, JS Gems, Manoel Bernardes, Manoel Nogueira, Marupiara, Nevesgems, P.B. Gems, Peter Valicek, Pinkstone, PM Carvings, RC Gems, R Figueiredo, R & R e Tavares Gems mostram o potencial do Brasil como mercado fornecedor das gemas e artefatos minerais.

Segundo levantamento da organização da feira, na edição anterior estiveram presentes na HKTDC cerca de 33 mil pessoas, sendo que mais de 75% delas eram da Ásia. O mercado asiático, inclusive, ocupa a segunda posição no ranking dos principais destinos das exportações do projeto Precious Brazil, perdendo apenas para os EUA. Em 2018, o Brasil exportou mais de 18  milhões de dólares em gemas e joias para Hong Kong, sendo que desse total, 78% são atribuídos às empresas do projeto.

Neste ano, as empresas brasileiras presentes na feira encontrarão algumas facilidades pensadas para trazer maior conforto e posicionamento de imagem. Entre as novidades estão estande institucional do IBGM e treinamento de mídias digitais ministrado por Helena Cattaneo. Durante o evento, serão realizados atendimentos individualizados de consultoria para apresentar formas de como as marcas podem estar cada vez mais conectadas com seus clientes.

Para a proprietária da BGC – Brasil Gem Commerce, Marinalva Lima, o projeto é importante porque mostra ao mundo as riquezas do país. “O Precious Brazil visa beneficiar os expositores brasileiros e dar visibilidade ao nosso país lá fora”, diz.